Notícias



Justiça nega seguimento de recurso da BRK ao STF

Visualize fotos

 

Desembargador do TJSP negou que processo judicial seja enviado à Suprema Corte por não haver matérias que “ofendam direta e frontalmente a Constituição Federal”

 

A Câmara Municipal de Sumaré conquistou mais uma vitória no processo judicial movido pela Odebrecht/BRK Ambiental que pede a nulidade dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apurou a concessão dos serviços de saneamento básico da cidade em 2017. Em decisão proferida nesta terça-feira (23), o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP) negou o seguimento de recurso da Odebrecht/BRK para que o processo fosse julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Em sua decisão, o presidente da Seção de Direito Público do TJSP, desembargador Paulo Magalhães da Costa Coelho, afirma que não há, no processo, “matérias que ofendam direta e frontalmente a Constituição Federal, motivo pelo qual não cabe análise por parte dos ministros da Suprema Corte”.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Willian Souza (PT), comemorou a decisão judicial. "É notório que a Odebrecht/BRK tenta usar os recursos judiciais como forma de atrasar o processo e invalidar o trabalho primoroso feito pela CPI em 2017. Mas nosso corpo jurídico seguirá firme em todas as instâncias, e temos certeza de que a Justiça vai reconhecer a validade da Comissão Parlamentar, que reuniu vasta documentação em 130 dias de muito trabalho", afirma Willian, que ocupou a presidência da CPI entre fevereiro e julho de 2017. Também compuseram a comissão os vereadores Josué Cardozo (Republicanos), Rudinei Lobo (PL), Tião Correa (PSDB) e Marcio Brianes (PDT).

A CPI da Odebrecht foi aberta para investigar um suposto esquema de corrupção que envolveu a ex-prefeita Cristina Carrara (PSDB) e empresários da empresa Odebrecht Ambiental, que resultou na concessão dos serviços públicos de saneamento básico em Sumaré. O trabalho de investigação teve por objetivo apurar inexecução do contrato de concessão, a publicação do Termo de Anuência que autorizou a troca de controle acionário da empresa Odebrecht Ambiental para a Brookfield (BRK Ambiental), além dos imóveis que pertenciam ao antigo DAE (Departamento de Água e Esgotos) que foram objetos da concessão.

Diante da repercussão das investigações, a concessionária entrou com mandado de segurança em julho de 2017, solicitando a nulidade dos trabalhos por entender que a Comissão não concedeu acesso aos autos do processo e desvirtuou o objeto da CPI. No entanto, os argumentos foram contestados pela Justiça de Sumaré, decidindo pela validade da CPI. A Odebrecht/BRK recorreu ainda ao TJSP, e novamente a Justiça negou, em outubro de 2019, o recurso que pedia a nulidade da Comissão.



Versão para Impressão

Fique por dentro

Outras Notícias

Câmara de Sumaré suspende atendimento ao público para prevenir Covid-19

06 de julho de 2020

  Medida é adotada como forma de ajudar nos esforços de prevenção à circulação do Coronavírus; sessão ordinária deste terça-feira será mantida, mas poderá ser acompanhada apenas pela internet...

Leia Mais

PL de Dr. Sérgio Rosa institui Dia Municipal de Conscientização e Combate à Violência contra a Pessoa Idosa em Sumaré

06 de julho de 2020

Propositura apresentada pelo vereador pretende alertar a população e desenvolver atividades educativas sobre o tema   O vereador Dr. Sérgio Rosa (PDT) protocolou na Câmara de Sumaré o Projeto de...

Leia Mais

Câmara debate regulamentação de comércio ambulante em Sumaré

03 de julho de 2020

  De autoria do vereador Hélio Silva, PL que disciplina esse ramo da atividade econômica no município foi protocolado na terça-feira   A Câmara Municipal de Sumaré deve debater, em breve, a regu...

Leia Mais

Câmara aprova PL que aumenta o tempo de uso de veículos do transporte escolar de Sumaré

02 de julho de 2020

Projeto do vereador Willian Souza altera antiga legislação e objetiva fazer adequações às necessidades da categoria durante período de pandemia A Câmara de Sumaré aprovou durante a sessão ordinári...

Leia Mais

Câmara de Sumaré aprova LDO que prevê R$ 890 milhões para orçamento de 2021

02 de julho de 2020

Votação em segundo turno aconteceu durante a 22ª sessão ordinária do ano, realizada nesta terça-feira A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano de 2021 foi aprovada pelos vereadores de Su...

Leia Mais

Câmara de Sumaré vota LDO em segundo turno nesta terça-feira

30 de junho de 2020

Projeto de autoria do Executivo Municipal prevê orçamento de R$ 890 milhões para 2021 A Câmara Municipal de Sumaré vota, em segundo turno, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano de 202...

Leia Mais

 

Copyright 2020 Todos os Direitos Reservados | Desenvolvido por: Sino Informática.